Como escolher o melhor transporte adaptado para idosos ou pessoas com deficiência?

29.05.2019

Apesar do número expressivo de pessoas idosas ou com deficiência no Brasil, fazer parte desses grupos de pessoas com mobilidade reduzida normalmente significa enfrentar muitas limitações diárias, principalmente em relação ao transporte adaptado.

Algumas leis foram publicadas com objetivo de tornar os ambientes acessíveis e de promover a inclusão dessas pessoas na sociedade.  Desde 2000, por exemplo, existe lei que exige que toda a frota de veículos de transporte urbano coletivo seja acessível.  O problema é que, mesmo depois de quase 20 anos, na prática, isso não acontece.

Calçadas irregulares, cheias de buracos, sem rampas adequadas ou mesmo inexistentes nas calçadas, muitas escadas e degraus fazem a locomoção pelas ruas ser bastante difícil.

Dependendo no nível de comprometimento motor, é impossível se movimentar sem a ajuda de um acompanhante ou mesmo ter a liberdade de ir para onde quiser.

Esse tipo de situação contribui para o isolamento social. Faz o idoso ou pessoa com deficiência permanecer em casa ou ter que optar por transportes alternativos. E esses, da mesma forma, muitas vezes também não estão preparados adequadamente.

Hoje vamos falar sobre as opções de transporte adaptado para pessoas com mobilidade reduzida, mostrando prós e contras de cada modalidade de transporte.

Transporte público coletivo adaptado

O Decreto 10.098/2000 determinou que todos os veículos de transporte coletivo deveriam dispor de equipamentos de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida. Outro decreto, de 2004, determinava que em 10 anos, essa regra deveria estar integralmente cumprida.

Isso significaria ter toda a frota adaptada com a Plataforma Elevatória Veicular (PEV). Na prática, nem todos os veículos obedecem a essa regra. E muitos dos que dispõem do equipamento, apresentam defeitos e falhas pela falta de manutenção.

Em pesquisa divulgada pelo IBGE em 2017, o Nordeste foi a região com menor índice de municípios com frota acessível, sendo de apenas 5,3%.

Outro problema apresentado é a falta de preparo e capacitação dos motoristas. Muitas vezes eles não param os ônibus para idosos ou pessoas com deficiência.

No caso de outros tipos de transporte coletivo, como metrôs e trens, a lei exige a instalação de rampas de acesso, corrimãos, elevadores, nivelamento entre a plataforma e os veículos e a presença de funcionários capacitados, além da ausência de obstáculos nos deslocamentos.

A principal vantagem desse tipo de transporte é o custo acessível. Para idosos ou pessoas com deficiência comprovadamente carentes, o transporte é gratuito. Se funcionasse adequadamente, outro beneficio seria também a variedade de destino.

Táxi e serviços de aplicativo adaptados

Em julho de 2015, outra lei entrou em vigor trazendo benefícios. O conhecido Estatuto da Pessoa com Deficiência, determinou que “as frotas de empresas de taxi devem reservar 10% de seus veículos acessíveis à pessoa com deficiência”.

Além disso, também proibiu a cobrança diferenciada de tarifas ou de valores adicionais pelos serviços prestados.  

Infelizmente, mais uma vez, a regra não é cumprida. Em Recife, por exemplo, a frota de carros adaptados ainda é muito pequena. Para utilizar é preciso contar com a sorte de encontrar um veículo adequado e de motoristas dispostos a ajudar.  

Descobrir o que é considerado um carro acessível também é uma questão. Muitas vezes se trata de um carro espaçoso, que comporta uma cadeira de rodas.

Um táxi adaptado deve ter piso rebaixado, rampa antiderrapante ou plataforma eletrônica-hidráulica. Além disso, deve ter banco dianteiro giratório e cintos de segurança de três pontos.  

Nos casos dos serviços de transporte de aplicativo, a situação é semelhante. Com o agravante de a possibilidade de solicitar um transporte adaptado não estar disponível em todos os serviços, e nem entre as opções mais econômicas.

A vantagem é poder escolher o destino e ter um valor mais acessível do que outras opções que serão mostradas.

Carro particular adaptado

Ter um carro próprio adaptado resolve todos os problemas de disponibilidade, mas possui um custo alto, de aquisição do veículo e de manutenção, obviamente. É preciso ter cautela com o aspecto financeiro que essa compra envolve.

Pessoas com deficiência física são isentas de diversos impostos ao adquirir carros e não participam dos rodízios municipais.

Transporte adaptado especializado

Em relação aos diversos problemas apresentados pelas outras opções de transporte, essa sem dúvida é a melhor opção. Nos últimos anos surgiram diversas empresas de transporte especializado para pessoas com mobilidade reduzida, como a Essence Cuidados.

O serviço é contratado através de pacotes com atendimento personalizado de acordo com a necessidade de cada cliente. Na Essence Cuidados todos os veículos são adaptados. Além disso, os motoristas são treinados para oferecer o melhor atendimento de acordo com as necessidades do passageiro.

Os pacotes também podem ser contratados com técnicos de enfermagem. Dessa forma é possível oferecer maior conforto e qualidade no serviço às pessoas que precisam de um cuidado a mais.

Os valores dos serviços são compatíveis com as necessidades de cada cliente. Além disso podem ser utilizados para diversas finalidades como consultas, exames, mas também para atividades de lazer e entretenimento.

Agora que você já conhece as principais opções de transporte pode optar pela mais adequada e garantir que o idoso ou pessoa com deficiência possa realizar normalmente as atividades de desejar.

Tags:
  • Acessibilidade
  • Dicas de acessibilidade
  • Mobilidade
  • mobilidade urbana
  • transporte acessível
  • Transporte adaptado
  • transporte para cadeirantes
  • transporte para mobilidade reduzida

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O seu comentário será publicado no Facebook.


Voltar