Principais erros na educação da criança com deficiência

02.08.2019

Educar uma criança é uma tarefa difícil para qualquer família. É inevitável cometer erros ao longo do percurso. Mas os pais de crianças com deficiência são mais sujeitos a errar, talvez por quererem ainda mais acertar.

Certamente isso acontece por não termos, em geral, o modelo de educação trazido de sua própria família com experiência de cuidar de uma criança com alguma necessidade especial. 

Cada pessoa possui uma característica própria e suas dificuldades, mas em geral o desenvolvimento acaba sendo semelhante na maioria dos casos. Porém, quando a criança possui alguma deficiência tudo é novo e os pais precisam reconhecer as necessidades da criança e aprender a lidar com elas.

A fase de aceitação da deficiência pelos pais é fundamental. Somente depois disso é que será possível buscar uma forma de educar a criança.

O pai tem papel fundamental nessa equação. Ele normalmente tem mais coragem para deixar a criança experimentar novas situações. Mas eles também são os que apresentam maior dificuldade em aceitar a deficiência. Infelizmente, muitos deles se afastam, se omitem na educação, e até se sentem ofendidos com a situação.

Em geral as mães são mais carinhosas e aceitam mais prontamente a deficiência da criança. Porém, elas são mais sujeitas a cometer os principais erros na educação da criança com deficiência.

Conheça agora os principais erros cometidos na educação da criança com deficiência:

Superproteção

Essa é a base da maioria dos erros na educação da criança com deficiência. É comum que os pais vejam o filho como “coitadinho”, e por isso acabem exagerando nos cuidados. A maior dificuldade é perceber esses exageros por tenderem a querer minimizar o sofrimento da criança.

É preciso permitir que a criança corra alguns “riscos” para que ela avance no desenvolvimento. Uma dica para identificar a superproteção é comparar o comportamento do seu filho com o de outras crianças da mesma idade.

Em geral, passeios com os amigos, brincadeiras e outras atividades em grupo são normais e esperadas. É preciso cuidado para não se preocupar em excesso e impedir essas atividades.

Subestimar o potencial

Desde cedo as crianças aprendem a perceber e entender o mundo pela observação do comportamento de seus pais. Elas têm grande capacidade intuitiva e identificam as atitudes dos adultos mais próximos mesmo em casos de deficiência mental.

Por isso é preciso ter atitudes que incentivem a criança a experimentar coisas novas e deixá-la tentar sozinha. Se os pais interferirem ou tentarem ajudar, a percepção a criança será de incapacidade. Isso é muito prejudicial para a autoestima dela.

Pais que permanecem presos à deficiência não conseguem perceber o potencial da criança e acabam limitando-a demais.

Não dar limites

A criança com deficiência também testa seus limites e, assim como qualquer outra, faz birras e desobedece. E os pais, também assim como quaisquer outros, devem permanecer firmes, impor limites e não ceder aos olhares e até intervenções de outras pessoas que incentivam a permitir tudo.

Fazer tudo no lugar da criança

Uma das funções dos pais é incentivar a independência da criança, na medida das suas capacidades. E não é diferente com as crianças com deficiência. Para isso, não fazer as coisas por ela é o primeiro passo e exige paciência dos pais.

O ideal é ensinar a criança, mostrando como se faz, e deixar que ela tente e consiga realizar a tarefa sozinha. Valorize também cada conquista e elogie para estimulá-la a continuar se esforçando. Assim a criança se motivará para desenvolver outras habilidades.

Trancar a criança em casa

As terapias de desenvolvimento social não terão resultado se não houver contato com outras pessoas. O contato social é fundamental para que a criança desenvolva outras habilidades.

O principal receio que faz os pais impedirem esse contato é o de que a criança se machuque, ou que seja segregado, ou ainda que ninguém saiba cuidar dela. Mas justamente a ausência dos pais que estimula outras pessoas a quererem ajudar e também a integração da criança com outras pessoas.

Caso a criança tenha dificuldade para se locomover, você pode utilizar serviços de transporte especializado que garantem a segurança e a comodidade para realizar as atividades.

A quem recorrer, então?

Esses são os principais erros na educação cometidos pelas famílias de crianças com deficiência. O principal prejuízo sempre será da criança, que crescerá sem a real percepção de suas potencialidades.

A Essence Cuidados oferece serviços especializados de transporte que atende pessoas com necessidades especiais de locomoção. Dessa forma contribuímos com o bem-estar dessas famílias.

Conheça nossos serviços e solicite um orçamento.

Tags:
  • crescer bem
  • Criança
  • Criança com Deficiência
  • cuidado da criança
  • cuidar
  • direitos da criança
  • Direitos da pessoa com deficiência
  • educar

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu comentário será publicado no Facebook.


Voltar