Táxi adaptado no Brasil: como funciona, panorama e alternativas

03.05.2018
Táxi adaptado

Ser deficiente físico ou ter limitações motoras, como é o caso de muitos idosos, ainda significa enfrentar desafios diários para se locomover no Brasil: encontrar um táxi adaptado, um ônibus acessível e outras opções de transporte é muito raro e, de qualquer forma, em geral eles não são capazes de atender certas limitações.

E esse é um problema que precisa receber mais atenção: afinal mais de 13 milhões de brasileiros têm alguma limitação motora, ou seja, dificuldade de locomoção ou mobilidade reduzida, dependendo de cadeira de rodas, por exemplo.

Apesar de algumas medidas já terem sido tomadas – em dezembro de 2000, por exemplo, foi sancionada a Lei 10.098, que visa à garantia da acessibilidade para essa parte da população -, na prática isso nem sempre acontece.

Sem transporte público acessível ou táxis adaptados para deficiências específicas, é bastante difícil levar uma vida normal — atividades simples como cursar uma faculdade ou manter um emprego podem se tornar verdadeiros pesadelos diários, bem como a possibilidade de aproveitar alguns momentos de lazer.

Como funciona o táxi adaptado e suas limitações no Brasil

Cada meio de transporte possui necessidades diferentes de adaptação.

Nos meios de transporte rodoviários, por exemplo, é obrigatória a presença de assentos reservados para deficientes e seus acompanhantes, e também devem haver rampas ou elevadores para auxiliar no embarque e desembarque.

Já os táxis adaptados são veículos de passeio normais que passam por alterações na estrutura para transportar pessoas com mobilidade reduzida. As características necessárias para um táxi ser considerado adaptado são:

  • Traseira com rampa antiderrapante ou plataforma eletro-hidráulica, que suporte até 250kg;
  • Banco dianteiro giratório, para facilitar o embarque e desembarque de pessoas com dificuldades de locomoção;
  • Piso rebaixado, para ajudar no processo de embarque e desembarque, além de dar mais estabilidade à cadeira de rodas durante o trajeto;
  • Cintos de segurança de três pontos;
  • Dispositivo que iniba a partida do automóvel se as portas estiverem destravadas.

Mas não basta somente possuir o táxi adaptado: os motoristas também devem estar treinados para auxiliar a pessoa com mobilidade reduzida.

Essa capacitação deve incluir treinamento para executar os mecanismos, para auxiliar os usuários sempre que necessário, para dirigir de forma adequada e, ainda, cuidar para não ligar o taxímetro até o usuário ter embarcado (e desligá-lo antes do desembarque).

Infelizmente, ainda não existe no Brasil um sistema específico que realize o controle de qualidade dos motoristas de táxis adaptados, e, ainda por cima, a frota brasileira de veículos do tipo é pequena se comparada ao tamanho da população que depende do serviço.

O Estatuto da Pessoa com Deficiência, de 2015, determina que a frota de táxis adaptados corresponda a 10% do total — algo que não é respeitado na maioria das cidades.

E, para completar, ainda são comuns casos de táxis adaptados que cobram valores exorbitantes para transportar cadeirantes, ou que até mesmo se recusam a prestar esse serviço.

Vantagens e desvantagens do táxi adaptado (e outras alternativas)

Embora o passageiro de táxi adaptado possa enfrentar algumas das dificuldades mencionadas acima, esse meio de transporte traz algumas vantagens, como:

  • Rotas mais disputadas e exclusivas liberadas, como pontos de embarque e desembarque em aeroportos;
  • Maior liberdade de paradas, pois ao contrário dos táxis comuns, os adaptados podem esperar livremente em qualquer região.

Contudo, para quem prefere não correr riscos, existem opções de serviços especializados de transporte adaptado, nos quais, além de o veículo ser 100% adaptado às necessidades do usuário, o motorista é um cuidador especializado, responsável por todo o acompanhamento do passageiro, antes mesmo do embarque.

Nesse caso, é possível programar o transporte, escolher o veículo, o cuidador e, se necessário, também o técnico de enfermagem do atendimento.

E além do usuário final, esse tipo de serviço traz também um grande conforto para os familiares!

Afinal, com avançadas tecnologias embarcadas nos veículos, como câmeras e pontos de check-in, algumas empresas especializadas em transporte adaptado permitem o acompanhamento e o monitoramento do atendimento em tempo real, inclusive pelo celular – o que não é possível em um táxi adaptado (nem mesmo em ambulâncias ou carros particulares).

Aqui na Essence Cuidados, por exemplo, oferecemos todos esses benefícios, com atuação em Recife e região. Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e clique aqui solicitar seu orçamento!

Conheça e Essence Cuidados

Já imaginou poder ficar despreocupado quando seu familiar precisar sair, sabendo que ele estará bem acompanhado e assistido?

Esse serviço já existe! Conheça a Essence Cuidados o serviço de transporte especial com cuidador!

Publicado por Essence Cuidados em Domingo, 18 de junho de 2017

Tags:
Categoria(s):

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu comentário será publicado no Facebook.


Voltar